O ano de 2021 registrou o maior aumento do preço médio de imóveis dos últimos sete anos. Segundo o Índice FipeZap, baseado em anúncios de imóveis na internet, os preços subiram 5,29% no ano passado. Os valores aumentaram em 47 das 50 cidades analisadas.

No entanto, em cinco das 16 capitais monitoradas, a variação do preço médio ficou bem acima da média nacional. A maior alta foi registrada em Vitória (ES): 19,86%. Em seguida aparece Maceió (AL), com 18,50%.

O levantamento ainda mostra que as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro seguem com os maiores preços médios de metro quadrado. Neste ranking ainda aparecem três cidades catarinenses: além da capital Florianópolis, Balneário Camboriú, Itapema e Itajaí ficaram entre os dez maiores preços do metro quadrado do imóvel.

Veja as 10 cidades com o maior preço do metro quadrado até o final de 2021:

1 – São Paulo (SP): R$ 9.708;
2 – Rio de Janeiro (RJ): R$ 9.650;
3 – Balneário Camboriú (SC): R$ 9.358;
4 – Itapema (SC): R$ 8.856;
5 – Brasília (DF): R$ 8.788;
6 – Florianópolis (SC): R$ 8.582;
7 – Vitória (ES): R$ 8.562;
8 – Itajaí (SC): R$ 7.909;
9 – Barueri (SP): R$ 7.748;
10 – Curitiba (PR): R$ 7.518.

Fonte: IstoÉ Dinheiro

apartamento Balneário Camboriú Barueri boletim Focus Brasília casas Cidades com maior preço médio imobiliário Curitiba Fipezap Fipezap como calcular Fipezap histórico Florianópolis imóveis Imóveis Rio de Janeiro Imóveis São Paulo Imóvel indicador de preço residencial inflação Itajaí itapema mercado imobiliário novembro O que é Fipezap? preço imobiliário Preço médio de imóveis preços Preços dos imóveis aumentam preços dos imóveis residenciais qual o metro quadrado mais caro do brasil Rio de Janeiro São Paulo Venda Residencial

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.