SAC, PRICE E SACOC: você sabe a diferença?

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

Muitas vezes quando encontramos o imóvel de nossos sonhos ou ainda, desejamos construir, nos deparamos diante de uma limitação financeira que nos leva muitas vezes a buscar por um financiamento em alguma instituição de crédito. No meio do caminho, ao simular, muitas vezes nos questionam: tabela SAC ou PRICE?

Ao adotar um financiamento você está antecipando um crédito, seja para a aquisição de um determinado bem ou serviço como um imóvel, um terreno ou ainda, obra ou construção.

O custo de antecipar esse crédito é a taxa de juros na prestação do financiamento com a parcela do saldo a quitar.

É importante ressaltar ainda que prestações e parcelas são coisas diferentes. A prestação é o que você paga no total e é composta pela parcela e pela taxa de juros.

Existem mais de 10 sistemas que amortizam o financiamento. Os mais utilizados são os Sistemas Price, SAC e no ramo imobiliário, o SASOC.

  1. Sistema Price ou tabela PriceMERCADO IMOBILIÁRIO Finanças

O Sistema Price é um sistema francês adotado a partir do século XIX, criado pelo matemático inglês Richard Price no século anterior.

É caracterizado pelo pagamento de prestações iguais, sendo o mais utilizado por instituições financeiras e pelo comércio.

A quitação do saldo é composta por parcelas crescentes mais os juros (custo de emprestar o crédito), formando a prestação. Na medida em que o custo do crédito vai se reduzindo ao longo do tempo, o valor da parcela vai aumentando, mantendo a constância das prestações.

É necessário entender, acima de tudo, que parcela e prestações são coisas diferentes. A prestação é composta pela parcela (no caso da Tabela Price) crescente mais os juros.

  1. Sistema de Amortização Constante (SAC):

Mesma lógica de composição do Sistema Price, mas a parcela é decrescente, isto é, a prestação é composta por uma parcela que diminui ao longo do período, mais os juros.

  1. SACOC:

Este sistema é o mais utilizado por imobiliárias ou incorporadoras que possuem financiamento próprio, como nós fazemos. A prestação é composta por uma parcela, e esta parcela eventualmente é corrigida, geralmente, no mercado imobiliário, pelo IGP-M e uma porcentagem fixa.

Optar por um financiamento tem suas vantagens. Além de permitir respirar mais aliviado durante o mês, um financiamento nunca deve comprometer mais de 30% da sua renda mensal. É possível ainda realizar e manter seu padrão de vida, sabendo que em pouco tempo você terá adquirido seu sonho.

empreendimento empreendedorismo empreendimentos mercado imobiliario negócios imoveis negocios arquitetura empreendimento inteligente empreendimentos imobiliarios empreendimento criativo construtora empreendimento executivo alto padrao

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

4 respostas

    1. Oi Marcos, como vai? Uma excelente pergunta a sua. Vamos lá…

      No modelo tradicional, a SACOC não sofre incidência de juros nas parcelas iniciais. A parcela recebe a aplicação dos juros e índices de correção monetária ao longo do tempo, podendo ser mensal ou anual, variando de acordo com o contrato acordado.

      Sendo assim, inicialmente você tem a vantagem de não pagar todo o juro do contrato, e com o passar do tempo ele vem sendo aplicado da forma que foi acordado em contrato e consequentemente o valor da parcela vai subindo.

      Apesar do aumento no valor da parcela, do ponto de vista financeiro não é ruim pois também temos aumento de ganho por conta de reajuste de salário, entre outros…

      Independente de ser SACOC, PRICE ou SAC o consumidor corre sérios riscos. Portanto é primordial atentar-se aos juros fixos e ao índice de correção monetária que atualiza o contrato. Mesmo no modelo PRICE, que são parcelas fixas, dependendo da estabilidade do mercado e índice de correção, esse também pode sofrer aumentos que comprometem a parcela no longo prazo.

      Na Senzano Empreendimentos temos grande parte dos nossos contratos de financiamento próprio um “ TETO” (valor máximo) nos reajustes dos contratos. Assim o consumidor tem segurança quanto ao máximo que pode atingir o reajuste da parcela independente da economia e seus índices de correções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *